Cuidado com a obesidade

Um estudo publicado no Amercian Journal Nutrition Clinical mostra que o sedentarismo é mais perigoso para a saúde do que a obesidade, apesar de serem fatores de risco associados.

Segundo a pesquisa, da Universidade de Cambridge, caminhar 20 minutos por dia pode reduzir a mortalidade em pessoas com menos de 65 anos, além de diminuir os riscos de doenças do coração e câncer.

Cerca de 20 minutos é um bom tempo, mas a recomendação é realizar o exercício por cinco dias durante a semana. É necessário ter regularidade. O que a gente sabe é que uma pessoa acima do peso fisicamente ativa tem muito menos chances de morrer do que um magro sedentário.

A obesidade é considerada um dos problemas do século e pode estar diretamente associada ao sedentarismo por “conta das tecnologias”, que causam uma diminuição do movimento e, conseqüente, ganho de peso e consumo de calorias.

A falta de atividade física é responsável por 13% das causas de morte no país, com relação direta com doenças como diabetes, problemas cardíacos, infecções e derrame, além de alguns tipos de câncer, como o de mama e intestino.

Qualquer pessoa pode ser beneficiada, de qualquer idade e qualquer peso, com a prática. Incluir pequenas atividades física na rotina, como subir as escadas em vez de usar elevador e caminhar até a padaria, traz benefícios ao organismo.

A falta de exercícios tem causado tantas mortes quanto o tabagismo. Segundo o estudo, um terço dos adultos não têm praticado atividades físicas suficientes e esse dado pode ser responsável por uma em cada dez mortes por doenças cardiovasculares, diabetes, câncer de mama ou colorretal.

De acordo com os pesquisadores, o problema é tão grave que deve ser tratado como uma pandemia, já que os números chegam a 5,3 milhões de mortes por ano em todo o mundo. Ainda segundo os pesquisadores, uma das soluções para o sedentarismo está na criação de campanhas para alertar o público dos riscos de não praticar exercícios regularmente, ao invés de apenas lembra-los dos benefícios. Além disso, eles completam dizendo que o governo deveria ter mais participação na resolução do problema, desenvolvendo formas de tornar a atividade física mais conveniente, acessível e segura.

 

Com o objetivo de incentivar a prática de atividade física para uma melhor qualidade de vida, separamos algumas dicas essenciais. Veja aqui.

OBS: Números do Sedentarismo

A pesquisa mostrou que na América Latina e no Caribe o estilo de vida sedentário é responsável por 11,4% de todas as mortes por doenças cardíacas, diabetes e câncer de mama ou colorretal. Entre os países do continente, Argentina, Brasil e República Dominicana lideram a lista dos que possuem a população mais sedentária. Já a Guatemala é o país que possui a nação mais ativa da região.

No Brasil, o sedentarismo seria a causa de 8,2% dos casos de doenças cardíacas, 10,1% dos casos de DM 2, 13,4% dos casos de câncer de mama e 14,6% dos casos de câncer de cólon.

Outro dado interessante que o estudo indica é que as pessoas que vivem em países com alta renda per capita são as menos ativas. Entre os piores casos está a Grã-Bretanha, onde dois terços da população não se exercitam regularmente.

 

 

 

Vote